Friday, March 2, 2007

saudades


Foto tirada aqui


.................................................................................................................



...sabe dona, nóis lá era bem mais feliz.viemo para procurá vida melhó, mas o dinêro aqui se ganha e se vai todo embora.e as pessoa são triste sabe.nóis tinha alegria e cheiro do mar e do peixe todo o dia...
aqui os minino não brinca na rua, as pessoa são desconfiada, se fecha na sua casa e tem medo até de falar com a genti...
... nós tinha pouco, mas tinha alegria...aqui perdemo tudo.
...................................................................................................................
Post dedicado a "Maria" que todas as semanas vem consultar o Diário da República, onde aguarda a publicação do aviso que lhe concede nacionalidade portuguesa. Entendemos bem, a saudade do cheiro do mar com que a Maria sonha, a alegria dos meninos que brincam nas ruas , as danças e músicas que ouvem e dançam livremente por lá. E vamos, quando a esperança nos deixa, pedindo que o sonho não a abandone e a tristeza não a demova, de tentar alcançar aqui nesta terra distante, o propósito que a trouxe cá.

6 comments:

chuvamiuda said...

....................

dramas que só quem vive conhece




..................


Beijo e noite serena

AC said...

Eu, que estou na minha terra, tenho saudade, da minha terra.
Cpts e bfs.

Joao Soares said...

Muito bons posts.
Parabens.
Tem um link nos Amigos do BioTerra

grace said...

eu quando morava fora sentia isso...om domingo,

RPM said...

O tempo é que é o espaço que nos devora, não a geografia - que só nos faz mudar de clima e de língua e gastronomia. O tempo é que é o espaço da nossa memória.

Só que hoje não há já tempo para fazer parar, suspender, retroceder esses fios do tempo. O que foi mal feito, será assim lembrado. Tto infeliz português que foi morrer ao Brasil.

Hoje o ciclo e os fluxos migratórios invertem-se, com a desvantagem das praias serem inferiores e as pessoas falarem com as vogais fechadas...

As bonitas paisagens tropicais, essas serão sp belas, qqr q seja a língua que as reclame: na pobreza e na riqueza, na infelicidade e na alegria.

O tempo é o maior dos soberanos e o verdadeiro ditador. Ninguém manda nele, nem o espaço. Nada. É um motor autónomo de todos nós. E como não faz barulho, não usa carburante supomos sp que ele não passa, está parado, e é aí que nos enganamos.

Filho da **** do T., ainda no outro dia tinha 20 anos... Num tmpo em que não havia blogues e os telefonemas eram espaçados e as cartas mais frequentes

O tempo, de par com o DR, deveriam ambos ser ilegalizados

best
rpm

Luís said...

A Maria há-de conseguir... e talvez um dia volte à sua terra para mostrar aos amigos e família o seu novo bilhete de identidade. Nesse dia o mar ainda terá um cheiro mais forte =)